Como fazer um comentário de texto

Fazer um comentário de texto é uma atividade muito comum na escola secundária, já que faz parte de uma das provas do vestibular, portanto fazer um bom comentário de texto pode ajudar a tirar uma nota melhor nessa prova. Nós da umComo.com.br queremos ensinar como fazer um comentário de texto. Depois da leitura de um texto (atividade interpretativa em si), vem o comentário, que é muito diferente segundo a metodologia da ciência de que se trate.

Imprimir Whatsapp 2 Twitter 0 Google +
Instruções
  1. A primeira coisa a fazer é ler o texto de forma ágil, para entender a ideia geral. Neste momento, é preciso desfrutar da leitura e não analisar a cada aspecto do texto, mas entender o conceito geral.

  2. Depois devemos fazer uma leitura pormenorizada e atenta do texto. Podem-se sublinhar (a gosto do aluno ou com apoio do professor) os termos mais importantes, tomar nota (em uma folha à parte) das ideias que se nos venham à cabeça, tanto as diretamente relacionadas com o texto como as que se referem a dados gerais do autor.

  3. Uma vez que temos um entendimento terminológico do texto, se trata de localizar qual é o assunto de que trata o texto. O aluno deveria perguntar-se: De que trata o texto? Esta pergunta pode ser respondida de várias maneiras ao mesmo tempo:

    • Pode-se tentar procurar um título para nosso comentário.
    • Pode-se fazer uma lista dos problemas que trata, simplesmente parafraseando o texto e tentando explicar com palavras acessíveis, mas apropriadas (se é possível dentro do vocabulário técnico filosófico) o tema do que trata o autor.
    • Outra forma de indicar que se sabe do que fala o texto é enquadrá-lo dentro de uma disciplina (Psicologia, História, Metafísica, Ética, Gnosiologia, Teologia, etc.).
    • Pode-se indicar também que pretende o autor desde o ponto de vista filosófico? Conhecer a realidade: Gnosiologia /Ontologia.
  4. Após interpretar, entender e assimilar o texto, devemos começar a elaborar o comentário de texto. Durante a redação do comentário, devemos colocar toda a informação que preparamos na fase anterior, distribuindo-a da melhor forma. É preciso limitar-se às perguntas e situar a informação onde corresponda, tentando não repetir o mesmo em cada resposta. O erro mais frequente é a desordem no desenvolvimento da exposição. Para evitá-lo, o melhor é antes de começar a escrever fazer um roteiro de tudo o que anotamos quando líamos o texto. Para isso, podemos seguir os seguintes passos:

    • Podemos listar ou classificar os conceitos teóricos mais característicos do autor.
    • Podemos comentar por separado cada um desses termos no contexto da doutrina do autor e, ao mesmo tempo, mostrar as dificuldades de interpretação.
  5. Resumir as ideias mais importantes. Trata-se de dar uma explicação coerente do conteúdo do texto. A seção onde pedem que se exponha o conteúdo do texto deveria ser composta de diferentes partes, que você teria que comentar e analisar.

  6. Contextualização do texto na obra do autor: convém começar com a pergunta de relação (na qual se deve relacionar o texto com o pensamento do autor) com uma breve referência ao autor, bem como ao período histórico e contexto filosófico em que viveu. Nesta pergunta, é preciso detalhar a filosofia do autor a partir das ideias encontradas em um mesmo texto, e não expor a filosofia do autor como se se tratasse de um tema a desenvolver. Passos a seguir:

    • Enquadrar o fragmento na obra do autor e a obra no sistema do autor. Comparar com outras obras de maior ou menor maturidade.
    • Dizer se o autor mudou de opinião sobre esses temas do texto posteriormente ou não, etc.
    • Podem-se listar as ideias mais conhecidas do autor, desde que se tome como ponto de apoio as ideias que aparecem no texto.
    • Contextualización do autor na época histórica. Aludir às circunstâncias sociais, políticas e económicas e culturais que contribuíram à produção dessa obra.
    • Não deixar de mencionar também as possíveis influências que de outros autores filosóficos tem tido o autor nesse texto.
  7. Comentário crítico. Dever-se-ia enriquecer o comentário:

    • Propor as dificuldades de interpretação com objecto de descobrir incoherencias ou contradições com outras obras, etc.
    • Discutir o conteúdo do texto supondo alternativas opostas (Ex.: se o autor não partisse destes orçamentos então chegaríamos a estes outros e não cairíamos nestes problemas e resolveríamos estes outros).
    • Comparar com outros autores ver que respostas têm dado ao mimo problema. Em nenhum caso devem fazer-se valorações subjetivas como: "estou de acordo com o que diz" , "está bem o que diz".
  8. Se deseja ler mais artigos parecidos a como fazer um comentário de texto , recomendamos que entre na nossa categoria de Aprender a ler e a escrever ou que se inscreva no nosso boletim de novidades.
Conselhos
  • É imprescindível uma adequada apresentação formal.
  • Não pode ter faltas de ortografia. Uma apresentação pouco cuidada, bem como a existência de erros sintácticos ou falta de coerência desmerece o comentário.
  • As frases não têm de ser demasiado largar nem os parágrafos demasiado extensos. Além disso há que respeitar as margens laterais e deixar espaço entre os parágrafos.
  • Há que redigir o comentário no registo adequado, evitando expressões pouco formais.
  • Um comentário melhora se podemos fazer referências literárias, artísticas ou científicas. Nossa redacção ganhará em riqueza e originalidad.

Comente, dê a sua opinião, pergunte sobre como fazer um comentário de texto :


7 comentários


10-03-2015 disse:
treme tudo festas e eventos
22-01-2015 disse:
A maioridade penal no Brasil é um dos assuntos mais comentados desde o anos de 2011, um dos fatos que influencia é o crescimento de mortes de adolescentes de 15 à 17 anos com o envolvimento criminalidade. Por isso os políticos acham mais fácil diminuir a maioridade penal aos 16 anos e prende-lo do que educá-los, e também por que sobra mais verbas pra eles roubar.
21-01-2015 disse:
eu qeria diser p/os brasileiros acordaren espusaren nao acetaren esta coja de puliticos qe tao acabando com o brasil nos somos escravos deles metade do qe ganhamos vai pro governo em impostos anosa parte e bruto o deles e liquido eles desvian e nos pagamos e o qe temos em trca nada como se nao bastce agora vao omentar mais impostos onde vamos parar .vamos dar um basta nimguem mas votar . repuguinar esta pulitica suja onde voce so paga e nao tem nada em troca nem saude nem educasao daqui ums dias oqe voce ganha vai tudo em imposto voce .fica sen nada voce ja olhou nos cupons das suas compras qanto tu paga de impostos.ta na hora de uma nova princesa isabel.p/ nos libertar da escravidao. abran o olho.antes que seja tade.chega.
02-12-2014 disse:
Numa manhã de quarta-feira pegue um copo com água pela metade e coloque dentro grãos de Arroz. Atenção: você deve colocar a quantidade de grãos relativa a quantidade de quilos que deseja perder. Por exemplo: se deseja perder 12 quilos coloque 12 grãos de arroz dentro do copo. Deixe num local de sua casa. De noite, antes de dormir, beba toda a água , ams deixe os grãos ainda no copo. Complete com mais água até a metade do copo. Na quinta-feira, ainda em jejum beba a água do copo novamente, deixe os grãos de arroz e volte a completar o copo até a metade com água. Na sexta -feira pela manhã, em jejum beba o conteúdo do copo, desta vez engula até os grãos de arroz. Faça todo esse processo no mesmo copo e com os mesmo grãos. Faça a simpatia com fé , sem regimes. Antes de começar a simpatia divulgue esta simpatia para o mesmo numero de quilos que deseja perder.
27-10-2014 disse:
Adorei esse site
07-05-2014 disse:
ADOREI A IDEIA OBRIGADO!! http://******.net.br/show.html?a=V1855341S
02-12-2013 disse:
nossa esee site e mesmo de regras afffffffffffff!!!!!!!!!!!!!!!!!
Vídeos em destaque
Nós de Gravatas DIY Veterinário Dicas de costura