Partilhar

Como fazer uma pilha caseira

 
Por Yasmin Fonseca. 29 maio 2020
Como fazer uma pilha caseira

As pilhas, assim como as baterias, nada mais são que pequenos objetos capazes de reter energia química que será transformada em energia elétrica[1]. Com a transformação de energia citada, é possível alimentar eletrônicos sem que, para isso, seja necessário uma fiação que os conecte a uma rede de energia elétrica fixa. Com a criação das pilhas, foi possibilitada também a criação de diversos aparelhos eletrônicos portáteis dependentes desses depósitos móveis de energia, o que tornou a vida humana mais prática mas, ao mesmo tempo, bastante dependente de tais aparelhos eletrônicos. Já que as baterias são extremamente utilizados na modernidade, é indispensável que compreendamos seu funcionamento, e nada melhor do que uma experiência científica para ensinar e comprovar na prática conceitos da ciência.

Se você está numa situação na qual é necessário carregar um aparelho e não tem como, veja como fazer uma pilha caseira nesse artigo do umCOMO.

Também lhe pode interessar: Qual a diferença entre ânodo e cátodo

Pilha caseira com cobre e alumínio

Pensando sob o ponto de vista químico, uma pilha é uma objeto no qual ocorre uma reação química cuja consequência é uma descarga elétrica e, para que isso ocorra, é necessário utilizar materiais condutores de energia.[2]Partindo desse pressupostos, as pilhas são sempre construídas com dois metais distintos. Veja abaixo a lista completa de materiais necessárias para a construção dessa pilha:

  • 1 copo plástico descartável;
  • Sal;
  • Água;
  • Cobre;
  • Alumínio;
  • 1 multímetro com grampos.
Como fazer uma pilha caseira - Pilha caseira com cobre e alumínio

Como fazer uma pilha

Tendo todo o material em mãos, escolha uma superfície lisa e com espaço livre suficiente para o experimento, então, siga os seguintes passos para fazer a pilha caseira:

  1. Adicione a água no copo plástico até preenche-lo quase por completo;
  2. Adicione uma colher (de sopa) de sal no copo e mexa até que tudo se dissolva e que a mistura esteja homogênea;
  3. Prenda um grampo do multímetro de cada lado do copo de forma que suas pontas estarão fora da água;
  4. Presos ao copo e também aos grampos, coloque em cada um dos lados um dos metais selecionados para a experiência.
  5. Ligue o multímetro e observe a presença comprovada de uma corrente elétrica.[3]

Por ser feito a partir de materiais simples, o experimento acima por ser feito em diversos contextos e ensinar alguns conceitos básicos para crianças quando, por exemplo, feitos em uma escola. Além do funcionamento de uma pilha caseira, também podemos aprender bastante sobre elétrons, corrente elétrica e condutibilidade, além de ser uma oportunidade de colocar a criatividade em prática.

Dica: os metais citados podem parecer difíceis de se encontrar mas, acredite, ambos estão mais presentes em nossas vidas do que parece. Para conseguir alumínio, será suficiente cortar um pedaço de lata de refrigerante, para conseguir cobre, você pode utilizar uma moeda de 1 ou de 5 centavos enquanto e, caso for usar dinheiro, veja também 5 truques para limpar moedas e deixá-las brilhando para evitar que a sujeira interfira no processo.

Qual é a diferença entre pilha e bateria?

Por terem a mesma função, é muito comum que confundamos pilhas e baterias como formas diferentes de denominar a mesma coisa ou então que pensemos que trata-se de coisas diferentes pois uma bateria é recarregável enquanto uma pilha é utilizada até que acaba, tendo então o lixo como destino. De certa forma, pode-se dizer que ambos pensamento poder ser considerados corretos, entretanto, não por completo. Apesar da confusão quando o assunto é comparar pilhas e baterias, a diferença entre os dois tipos de fornecedores de energia elétrica é bastante simples e envolve a estrutura interna de ambos.

Quando falamos sobre funcionamento e forma pela qual a energia é produzida, pilhas e baterias são exatamente a mesma coisa e funcionam a partir da transformação de energia química em elétrica, o que ocorre a partir da movimentação de elétrons em solução eletrolítica. A diferença entre ambas é que, enquanto uma pilha é feita a partir de uma estrutura simples, uma bateria é composta por diversas pilhas ligadas, seja em série ou em paralelo.

Como funciona uma pilha

Se você for utilizar os experimentos acima em um contexto didático, também é válido entender e explicar o funcionamento de pilhas de forma que todo o mecanismo por de trás da produção de energia seja compreendido.

Como você já deve ter percebido, uma pilha é sempre composta por dois lados metálicos distintos, esses lados serão chamados de ânodo e cátodo, sendo o primeiro negativo e, o segundo, positivo.[4] É válido dizer que, já que os elétrons têm carga negativa, é dos cátodos que tais partículas partem em sentido ao ânodo, e não o contrário, como poderia se pensar, pois é lá que estão inicialmente.

Já que os elétrons precisam ser transportados do ânodo para o cátodo, o que fazemos para permitir tal movimentação é utilizar uma solução eletrolítica, ou seja, uma solução que favorecerá o deslocamento das partículas de um extremo ao outro da pilha. O fluxo dos elétrons produz uma corrente e a diferença de potencial elétrico entre os metais dará a tensão, que será o valor visto no multímetro.

O funcionamento de uma pilha pode não ser a ideia mais simples de se aprender, ainda mais por envolver diversos processos e conceitos, mas com paciência você conseguirá entender todos os detalhes. Se você acabou se perdendo e não entendeu a explicação completa, veja também qual a diferença entre ânodo e cátodo e, assim que a ideia estiver bastante fixada, retorne para reler a explicação acima.

Se pretende ler mais artigos parecidos a Como fazer uma pilha caseira, recomendamos que entre na nossa categoria de Educação e Formação universitária.

Referências
  1. HIOKA, N.; FILHO, O. S.; de MENEZES, A. J.; YONEHARA, A. J.; YONEHARA, F. S.; BERGAMASKI, K.; PEREIRA, R. V. Pilhas de Cu/Mg construídas com materiais de fácil obtenção. Experimentação no ensino de química, Química nova na escola, nº 11, 2000. Disponível em: http://qnesc.sbq.org.br/online/qnesc11/v11a09.pdf. Acesso em: 26/05/2020.
  2. BOCCHI, N.; FERRACIN, L. C.; BIAGGIO, S. R. Pilhas e baterias: funcionamento e impacto ambiental. Química e sociedade, Química nova na escola, nº 11, 2000. Disponível em: http://qnesc.sbq.org.br/online/qnesc11/v11a01.pdf. Acesso em: 26/05/2020.
  3. Homemade battery experiment. Center for Excellence in Education. Disponível em: http://www.cee.org/tep-lab-bench/pdf/MJ.BatteryHandout.pdf. Acesso em: 26/05/2020.
  4. How Batteries Work. CVEC School Program – Reading Activities, Central Virginia Electric Cooperative. Disponível em: https://www.mycvec.com/assets/images/general/reading-comprehension-activities.pdf. Acesso em: 26/05/2020.

Escrever comentário

O que lhe pareceu o artigo?

Como fazer uma pilha caseira
1 de 2
Como fazer uma pilha caseira

Voltar ao topo da página