menu
Partilhar

Como escolher um telescópio

 
Por Redação umCOMO. 19 outubro 2021
Como escolher um telescópio

Se a astronomia é algo que te encanta e você quer aprender mais sobre o universo, chegou o momento de pensar sobre que telescópio comprar. Para isso, você não somente deve saber onde comprar um telescópio, como também deve conhecer os diferentes tipos que existem e qual é o mais adequado para você, levando em consideração suas necessidades, espaço e orçamento, entre outros fatores.

Quer saber como escolher um telescópio? No umCOMO temos uma resposta para você. Para comprar um instrumento assim você não pode escolher aleatoriamente, portanto, a seguir, te daremos as chaves para adquirir o melhor produto para continuar pesquisando o universo de casa. Já se preparou para descobrir estrelas, constelações, planetas e satélites? A seguir, te explicamos tanto sobre os telescópios para iniciantes, quanto sobre o telescópio astronômico profissional. Você escolhe!

Também lhe pode interessar: Como se forma um tsunami

O que você precisa saber antes de escolher um telescópio

Um telescópio é um instrumento ótico através do qual você pode observar corpos celestes afastados. Assim, esse dispositivo nos possibilita visualizar aquilo que se encontra a uma grande distância de forma detalhada, já que oferece uma imagem maior do objeto que está sendo observado. As características do telescópio fazem com que este instrumento seja perfeito para a astronomia, pois nos permite visualizar corpos celestes e analisá-los. Mas, por que o telescópio foi criado? Antes de escolher um telescópio, sugerimos que você conheça um pouco sobre a história dele se ainda não conhece.

Como surgiu o telescópio

Sua história está vinculada a distintas descobertas físicas e óticas. O primeiro telescópio conhecido é datado de 1608 quando Hans Luppershey, um cientista alemão, criou um telescópio refrator através de uma lente ocular côncava e um objetivo convexo. Depois de um tempo utilizando este tipo de instrumento surgiram os telescópios refletores com os quais as lentes foram trocadas por espelhos que permitiam concretizar o foco de luz e melhorar a formação das imagens.

No entanto, foi apenas em 1609 que o primeiro telescópio astronômico foi registrado por Galileo Galilei, quem conseguiu observar diversas estrelas, Júpiter e a Lua. Graças a ele, o telescópio foi considerado como a base para o desenvolvimento da astronomia, ciência que estuda os corpos celestes.

Antes de escolher o telescópio adequado para você, deve saber onde comprar um telescópio. Você vai ver que esses instrumentos podem ser comprados tanto em lojas especializadas em astronomia, como em páginas online. Além disso, você conseguirá encontrar telescópios para iniciantes em grandes superfícies.

Como escolher um telescópio

Antes de escolher um telescópio você deve ter clareza sobre o que está procurando e, para isso, é imprescindível fazer-se certas perguntas:

  • O que quero ver?
  • Quanto quero gastar?
  • Onde irei utilizá-lo?
  • Estou certo de que gosto de astronomia?

Embora as três primeiras perguntas te permitirão selecionar o tipo de telescópio que mais adapte às suas necessidades, a última pergunta fundamental na hora de tomar a decisão de comprar um telescópio. Se trata de um instrumento caro que nem todo mundo pode ter acesso. Por isso, antes de fazer esse investimento é importante analisar o quanto você gosta da astronomia e de quanto tempo você dispõe para disfrutar dela, pois isso também poderá ser um requisito na hora de escolher entre um ou outro.

Por exemplo, você não vai precisar de um muito potente se for fazer observações curtas e esporádicas, com um telescópio para iniciantes ou algo um pouco mais avançado, mas sem chegar a ser profissional, pode ser suficiente. Por outro lado, se o que você quer é se dedicar às observações de longa duração, vai precisar de um telescópio astronômico profissional. Sobre este último, você precisa saber que existem telescópios potentes com montagens especiais e acessórios diversos, baterias, tripés e contrapesos que te darão a possibilidade de disfrutar de longas noites de observação espacial.

Características a serem levadas em conta

Por outro lado, na hora de conhecer os diferentes tipos de telescópios é importante levar em consideração os parâmetros básicos que os caracterizam, como o diâmetro do objetivo, a distância focal (distância entre o espelho ou lente e o foco onde fica a lente), o filtro (permite tornar o corpo observado opaco) e o aumento (número de vezes que o diâmetro aparente do objeto visualizado pode ser multiplicado). Tudo isso são requisitos que poderão definir a compra de um telescópio.

Existem muitas características para ter em conta quando você se pergunta como escolher um telescópio para iniciantes ou profissional. Por isso, é importante ter clareza sobre alguns aspectos antes de realizar sua compra. Lembre-se que a primeira coisa a ser feita é definir o uso que você dará ao seu telescópio. Se você se interessou há pouco tempo pelo tema, aposte em um telescópio para iniciantes, mas se já deu seus primeiros passos e deseja ampliar seu conhecimento astronômico, poderá ampliar horizontes e optar por um telescópio astronômico profissional. Uma vez que tenha clareza sobre suas necessidades, tome nota dos seguintes fatores que poderão determinar sua escolha.

Como escolher um telescópio - Como escolher um telescópio

Desenho óptico do telescópio

Existem muitos tipos de telescópios e você pode diferenciá-los facilmente através de seu design óptico que pode ser refrator, refletor ou catadióptrico. Mesmo que possam parecer palavras de outro planeta, são conceitos que te ajudarão a escolher o melhor telescópio para você, já que o design óptico influencia diretamente em qualquer outra característica ou benefícios do próprio telescópio:

  • Refrator: trata-se de um telescópio que usa uma lente ou uma combinação de lentes, através das quais se capta e concentra a luz. É um telescópio de fácil utilização, com bom rendimento e que oferece uma imagem nítida. Além disso, não requer manutenção. No entanto, sua abertura é menor e costuma ser mais caro, pois os refratores mais baratos costumam ter lentes de má qualidade. É o telescópio para observação terrestre por excelência, embora também seja bom para observar planetas.
  • Refletor: este telescópio é composto por dois espelhos que refletem a luz de um para o outro até chegar à lente ocular. A vantagem desta topologia é que são muitos mais baratos que os refratores, têm uma abertura maior e se adaptam perfeitamente à temperatura ambiente, o que os faz perfeitos para que você comece na observação astronômica. Contudo, a qualidade é menor e requer mais manutenção. Graças a sua abertura são ideais para a observação do céu profundo como galáxias ou nebulosas.
  • Catadióptrico: combinam lentes e espelhos os quais resultam em uma distância focal grande em um tubo curto. Trata-se de um tipo de telescópio compacto e fácil de motorizar, armazenar, transportar e manter. Um autêntico Jipe! Vale acrescentar que são perfeitos tanto para a observação planetária, quanto para o céu profundo. Sua principal desvantagem é que seu preço é o mais elevado e que ao ser tão polivalente pode não superar os pontos fortes de seus concorrentes.

Abertura

É um dos aspectos mais importantes na hora de escolher um telescópio. A abertura é o diâmetro da lente, parte pela qual entra a luz. O tamanho da lente costuma ser expresso em milímetros e você deve saber que quanto maior for o diâmetro, maior será a quantidade de luz que entrará pelo telescópio, o que se traduz em imagens muito mais nítidas, mais precisas e de maior qualidade.

Os intervalos de abertura de um telescópio para iniciantes vai de 80 mm a 150mm, enquanto os telescópios astronômicos profissionais podem chegar a ter um diâmetro de 300mm de abertura.

Uso e conforto

Sem dúvidas sua experiência com o telescópio deve ser também um fator fundamental na hora de realizar sua compra. Neste sentido, existem características que influenciam diretamente no uso e comodidade deste instrumento:

  • Montagem: a montagem é onde o telescópio é montado no tripé e ajuda a estabilizar o telescópio. As mais comuns são a montagem altazimute, usada em telescópios para a observação terrestre e telescópios astronômicos básicos, e a montagem equatorial, mais cara, pesada e difícil de manejar, dessa forma, é utilizada pelos profissionais e experts. Além disso, as montagens podem ser manuais (mais baratas e simples) ou motorizadas.
  • Localizador óptico: é um acessório que se ajusta ao telescópio e permite localizar o objeto que você quer. Costuma ter poucos aumentos, entre 6x e 8x, mas sua abertura costuma ser grande. Quanto maior a abertura do localizador é, mais fácil fica de localizar objetos pouco iluminados.
  • Peso e tamanho: básico para o uso do telescópio e sua comodidade na hora de transportá-lo. Você deverá levar em consideração suas necessidades e forma física.

Preço do telescópio

Seu orçamento é um dos pontos-chave na hora de comprar um telescópio. Como você sabe, não se trata de um instrumento barato, e, além disso, a faixa de preços e prestações pode variar dependendo de suas próprias necessidades. Estabelecer seu limite orçamentário te ajudará a escolher o melhor telescópio para você. A opções são as seguintes:

Telescópios de menos de R$ 1200

Trata-se da opção mais difícil de se conseguir, ainda mais se você precisa começar na astronomia com certo comprometimento, pois em pouco tempo vai precisar de um telescópio mais completo. No entanto, se você não quer gastar mais de 1200 reais te recomendamos começar pela compra de bons binóculos, com os quais aprenderá a transitar pelo céu com facilidade.

Telescópios de até R$ 3500

Entre R$ 1200 e R$ 3500 é possível encontrar tanto bons telescópios quanto telescópios ruins. No entanto, se você começar na astronomia, esse é um preço razoável para o primeiro investimento como iniciante, e você encontrar Dobson 200/1200 ou o Startravel 120/600.

Telescópios de até R$ 5000

A variação de preços até os R$ 5000 é uma das mais interessantes, pois te permitirá encontra equipamentos de qualidade entre uma grande variedade de modelos. Dentro deste intervalo, você pode levar em consideração tanto os seus gostos, quanto suas preferências e interesses na hora de escolher a opção perfeita para você.

Telescópios a partir de R$ 6500

A partir de R$ 6500 um grade universo de possibilidades se abre diante de você. Trata-se de telescópios com montagens e acessórios muito mais completos e que foram pensados para observações astronômicas muito mais detalhadas. Os telescópios nesta faixa de preços te darão a possibilidade de descobrir qualquer canto do universo. Entre eles se destacam os equipamentos como o telescópio Dobson SkyWatcher 300/1500, com ou sem GoTo, o Nextar Evolution 8" ou o telescópio refletor 200/1000 com montagem HEQ5.

Como escolher um telescópio - Preço do telescópio

Distancia e relação focal do telescópio

Outra característica de um telescópio é a distância focal, ou seja, a distância que a luz percorre desde que entra pela ponta até que chega à lente. Esse fator, que é medido em milímetros, costuma vir impresso no próprio telescópio e pode influenciar diretamente a relação focal e os aumentos.

A relação focal é um termo que pode observar na descrição de um telescópio. Trata-se de um número que expressa a abertura à respeito da distância focal, ou seja, um cálculo obtido pela divisão da distância focal do telescópio entre a abertura. Geralmente, este número aparece escrito como "f/". Quanto menor é o número da "f/", menor é a ampliação, mais largo é o campo de visão e mais brilhante é a imagem.

  • De f/4 a f/5 são as melhores relações focais se você quer observar espaços amplos e o céu profundo (galaxias, nebulosas...).
  • De f/6 a f/10 são as melhores relações focais intermediárias caracterizadas pela sua polivalência.
  • De f/11 a f/15 se trata de relações focais perfeitas para a observação de planetas.

Aumento

O aumento se refere à potência do telescópio e o quão perto do objeto você está enquanto está fazendo sua observação. Isso é calculado mediante a divisão da distância focal pela distância focal da lente e geralmente o número aparece escrito com um "x" no final (ex.: 60x, 48x, 12x...). Quanto maior for a distância focal do telescópio e quanto menor for a distância focal da lente, mais aumento você terá. Na hora de escolher um telescópio você deve tomar cuidado com aumentos em excesso, pois podem ser contraproducentes: perda de luminosidade e nitidez, dificuldade de focar... Por isso, é importante ter esse aspecto em vista antes de comprar um telescópio.

Esperamos que agora que você sabe como escolher um telescópio possa desfrutar da astronomia. Te recomendamos também que leia estes dois outros artigos do umCOMO sobre como acontece um eclipse lunar e como ver um eclipse.

Se pretende ler mais artigos parecidos a Como escolher um telescópio, recomendamos que entre na nossa categoria de Formação.

Escrever comentário

O que lhe pareceu o artigo?

Como escolher um telescópio
1 de 3
Como escolher um telescópio

Voltar ao topo da página