Partilhar
Partilhar em:

Quem foi Giordano Bruno?

Quem foi Giordano Bruno?

Não é de hoje que o nome de Giordano Bruno é lembrado como um personagem histórico e influente na trajetória do mundo. Mas em 2017 seu nome voltou à tona quando ele foi relacionado ao misterioso caso do desaparecimento de um jovem no Acre. Uma das poucas pistas deixadas foi uma estátua de Giordano Bruno que poderia ser um elemento crucial para desvendar o caso. Se a sua curiosidade está aguçada, confira as informações que o umCOMO reuniu para te responder Quem foi Giordano Bruno?

Também lhe pode interessar: Quem foi Aristóteles

Breve biografia de Giordano Bruno

Giordano Bruno é conhecido por ter sido um ex-monge, teólogo, filósofo, matemático, astrônomo e escritor italiano que se tornou um mártir dos iluministas no século 19. Nascido no Reino de Nápoles, em 1548, seu nome de batismo era, na verdade, Filippo Bruno. Foi só quando ele ingressou para o seminário da Ordem Dominicana, aos 15 anos (há controvérsias históricas se foi aos 15 ou 17), que adotou o nome Giordano Bruno.

A partir de então, teve contato com ideias de pensadores como Aristóteles, Tomás de Aquino, tornou-se discípulo do filósofo Francesco Patrizi e aos 27 anos, em 1575, já recebia seu diploma de doutorado em Teologia. Após o grau, foi questão de pouco tempo para que ele abandonasse a Ordem dos Dominicanos já que elas tinham contradições com aspectos da sua linha de pensamento, que entre tantas teorias, questionava crenças substanciais à Igreja Católica como a existência de céu e inferno e o fato de Jesus Cristo ter nascido da Virgem Maria.

Principais teorias de Giordano Bruno

Além dos questionamentos quanto à Igreja Católica, Giordano Bruno também fez história ao apresentar suas teses quanto à natureza das estrelas, heliocentrismo, conceito de Deus como infinito e de que a verdade prevalece. Suas teorias mais conhecidas são:

  • Sucessor do heliocentrismo de Copérnico: concordava que a Terra girava em torno do Sol, mas ia além e contradizia as teorias aristotélicas;
  • Pluralismo cósmico: afirmava que as estrelas não eram só um ponto de luz, e sim outros "sóis" que poderiam ter o seu próprio conjunto de planetas e até abrigar vida;
  • Conceito de Deus como infinito: está em tudo e em todos. Segundo suas teorais, Deus não é uma fígura metafísica e sim uma energia impalpável, sem limites e praticamente irreconhecível - algo complexo demais para a mente humana;
  • Unificação das religiões: Deus está além de qualquer regra e negação de imagens religiosas que não são crucifixos;
  • Hilozoísmo e pampsiquismo: tudo possui energia e essência espiritual.

Trajetória de Giordano Bruno

Logo após conseguir o doutorado e se desvincular da Ordem Dominicana o filósofo já foi denunciado por heresia e então condenado em Roma em 1576, foi quando ele oficialmente deixou o hábito de frade. Três anos depois, saiu da Itália e iniciou uma jornada onde se alojou em diferentes cidades ao redor da Europa e lecionou em universidades como

Giordano Bruno, além de pesquisar e registrar tudo em suas obras conhecidas atualmente, lecionou em universidades europeias como Universidade de Halle-Wittenberg (Alemanha), Oxford (Inglaterra) e se alojou em diferentes cidades enquanto trabalhava em suas teorias. Isso não o livrou de ser novamente acusado por heresia pelo Santo Ofício.

A pedido do Papa, ele foi perseguido e entregue pelo tribunal da Inquisição de Roma e ficou preso por 7 anos enquanto era julgado. Ele não quis negar suas crenças e foi condenado à fogueira por acusações contra a fé católica e envolvimento com magia e adivinhação: morreu queimado vivo no dia 17 de fevereiro de 1600.

Suas obras ficaram para contar história e fazer de Giordano Bruno um símbolo da liberdade de expressão e pensamento e considerado um mártir do iluminismo do século 19.

Giordano Bruno e o caso do menino desaparecido no Acre

Não confunda Bruno Borges com Giordano Bruno (ainda que existam teorias de que eles são a mesma pessoa). Em março de 2017 o desaparecimento de Bruno Borges, 24, estudante de psicologia, em Rio Branco (AC), ganhou muita repercussão após uma série de pistas deixadas supostamente pelo desaparecido.

Após voltar de uma viagem de férias, os pais do jovem não encontraram o filho em casa. No seu quarto foram encontrados 14 livros criptografados (codificados) com trechos escritos pelas paredes, teto e chão, símbolos e quadros misteriosos e uma grande estátua do filósofo Giordano Bruno, avaliada em R$7 mil, no centro do cômodo. Junto a essas pistas também foram encontradas chaves que ajudariam a decifrar o conteúdo das obras todas escritas em uma linguagem de códigos até então desconhecida.

Um vídeo gravado pelos pais do garoto foi publicado na internet e pouco tempo depois surgiram milhares de teorias para solucionar o mistério do desaparecimento, muitas delas usaram a estátua de Giordano Bruno como pista para chegar a uma conclusão.

Principais teorias sobre o desaparecimento no Acre

Como as páginas das obras estão escritas em códigos e a polícia mantém a investigação em sigilo, captar a mensagem de Bruno é bem mais difícil na prática - formaram-se grupos online para tentar traduzir a criptografia das obras de Bruno Borges.

As principais teorias defendidas nas redes sociais e por especialistas são:

  • O jovem foi sequestrado por alienígenas, ele tinha um quadro ao lado de um ET e na gravura ambos vestiam as mesmas roupas que a estátua de Giordano Bruno deixada por ele;
  • A história é uma trollagem planejada pelo blog "Não salvo";
  • Bruno é um reencarnação do seu ídolo, o filósofo Giordano Bruno.
Fonte: Rede Amazônica

Se deseja ler mais artigos parecidos a Quem foi Giordano Bruno?, recomendamos que entre na nossa categoria de Educação e Formação universitária.

Comentários (0)

Escrever comentário sobre Quem foi Giordano Bruno?

O que lhe pareceu o artigo?

Quem foi Giordano Bruno?
Fonte: Rede Amazônica
1 de 3
Quem foi Giordano Bruno?