Como saber se sou pardo

Como saber se sou pardo

A raça parda é uma das categorias nas quais a população do Brasil é dividida de acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Historicamente, o termo "pardo" é usado no país desde o período colonial, quando o pardo era visto como uma espécie de casta resultante de miscigenação, forte característica da demografia brasileira. Em razão da mistura de raças no Brasil, por vezes é muito difícil que um indivíduo consiga de classificar, causando muitas dúvidas. Será que você qual é a sua etnia? Leia este artigo do umCOMO sobre como saber se sou pardo e entenda como é feita a classificação.

A evolução da classificação racial no Brasil

A ideia de definir o povo brasileiro veio da segunda metade século XIX, época na qual cresceu a discussão acerca da identidade nacional no país. No contexto, a diversidade racial e cultural brasileira foi vista como um empecilho nessa tentativa de definir a população, principalmente por influência de povos africanos e indígenas, considerado inferiores aos europeus colonizadores.[1]

Em 1872, em razão do Recenseamento do Brasil, foi realizada pela primeira vez no Brasil uma efetiva classificação da população em raças, tal classificação separou a população entre brancos, pretos, pardos e caboclos. Em 1890, durante uma segunda classificação racial da população, o termo pardo deixou de ser usado e foi substituído por mestiço[1], ou seja, fruto de uma mistura racial.

No século XX, principalmente durante o governo de Getúlio Vargas, em razão da retomada da tentativa de definir e criar uma identidade nacional, procurou-se formas de branqueamento da população brasileira em razão de teses que inferiorizavam tanto indígenas como negros, tais teorias se encaixam no chamado "racismo científico", ainda que o termo seja problemático pois não é efetivamente científico, é apenas uma tentativa de justificar o racismo. Além de diminuir a população negra e indígena no país, medidas como criar atrativos para europeus caucasianos no país também foram tomadas.

Após décadas sem que haja uma classificação e com as alterações acima vistas na demografia nacional, em 1940 novamente foi realizado uma análise da população brasileira, passando então a também incluir a categoria de pessoas amarelas em razão da grande migração japonesa no país. Atualmente o Brasil é o país com a maior comunidade japonesa no mundo.

Nos censos atuais, a população brasileira é dividida entre branca, preta, amarela, parda e indígena.

Como saber se sou pardo segundo o IBGE

Por definição e no sentido literal, a raça parda é um grupo que engloba brasileiros com variadas ascendências étnicas. Em razão da abrangência do termo, é bastante difícil saber o que é uma pessoa parda, sendo necessário que nos apoiemos em classificações já estipuladas. Se você se pergunta o que é uma pessoa parda para o IBGE, saiba que pode estar na categoria qualquer pessoa que tenha na origem mistura de raças. São alguns tipos de pardo:

  • A miscigenação mulata, que são os descendentes de pessoa branca e negro;
  • Os que são filhos de brancos com índios, ou seja, a cabocla e a cafuza;
  • Os filhos de negros e indígenas.

É sempre importante lembrar que essa é uma classificação do IBGE que apresenta definições para as cinco nomenclaturas e que cada um tem a liberdade de dizer como se classifica, além disso, a classificação é feita baseada apenas em origem e não envolve características físicas.

O que é uma pessoa parda para o IBGE

Resultados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Continua 2016 (PNAD Continua)[2], divulgados no final de 2017, revelaram que 46,7% dos brasileiros se declaram pardos. Fato é que se considerar pardo é muito mais uma questão de identificação pessoal do que definição e que vai muito além do tom da pele. Não há se alguém é pardo segundo o IBGE, afinal, os pesquisadores do instituto não definem a etnia dos entrevistados, apenas pedem para que a pessoa se classifique, o que vale é o critério da autodeclaração.

Como se autodeclarar pardo? Como fazer autodeclaração de raça?

Se você está se perguntando "Como comprovar que sou pardo?", saiba que se autodeclarar pardo é muito simples: basta afirmar que você é. Não é necessário realizar nenhuma comprovação de quem são seus ancestrais - sua palavra se declarando pardo é o que basta para os órgãos do governo.

Caso você tenha dúvidas do tipo como saber minha raça, veja abaixo características físicas dos pardos para entender melhor se você se encaixa na categoria.

Como saber se sou pardo para concurso

Quando se fala de concursos públicos ou vestibulares para ingresso em universidades públicas, o primeiro passo é se identificar como pardo e, depois, aguardar a aprovação do órgão. Isso ocorre porque atualmente a maioria das bancas de concurso e vestibulares tem um grupo especial que irá avaliar se o candidato aprovado é ou não pardo ou negro, caso ele entre pelo sistema de cotas, sendo essa uma maneira de evitar fraudes no sistema.

Imagem: lounge.obviousmag.org/Reprodução

Raça parda: características

A pessoa parda, na verdade, é uma pessoa mestiça, aquela que apresenta uma mistura bem aparente entre duas ou mais etnias. Acontece que na maioria das vezes o indivíduo fruto desse mix acaba nascendo com a pele morena, ou seja, se forma simplória, pode-se dizer que cor parda é moreno. No geral, os traços fenotípicos do pardo são uma mistura entre os dos negros, brancos, indígenas, asiáticos, etc., portanto, da sua ascendência familiar.

Como sabido, a raça parda é composta por indivíduos por vezes muito distintos pois, para ser pardo, basta ter diferentes ascendências. Uma mistura de negros e brancos, índios, ameríndios e brancos, entre ou outras, resultará em um indivíduo pardo. Em razão da mistura, na sua maioria, o indivíduo pardo é caracterizado por ter o tom de pele moreno para escuro e os traços podem variar de indígena, negro e branco. No Brasil são mais de 80 milhões de pessoas[2] que se consideram pardas, tornando o grupo o segundo maior do país, atrás somente dos brancos.

Outra coisa, a raça continua crescendo, pois há estudos que dizem que a maioria dos pardos tem descendência europeia de diversos países, indígena e africana o que tende a aumentar o número de pardos devido ao fato de grande parte do Brasil ter ascendência europeia, devido a intensa imigração portuguesa, alemã, espanhola, entre outros.

O primeiro estudo demográfico brasileiro foi feito em 1872[1] pedindo aos cidadãos que se classificassem em um dos quatro grupos: branco, caboclo, preto ou pardo. A maioria sempre foi branca, mas desde então foram feitas diversas mudanças na pesquisa e ainda não há uma definição de como classificar cada raça.

Em um país diverso racialmente como o Brasil, é muito difícil classificar a população de acordo com a raça, além disso, a classificação pode ser algo muito perigoso principalmente em razão do racismo, ideia que inferioriza raças e atinge fortemente o país até os dias de hoje, mesmo após mais de 1 década desde o fim da escravidão.

Entenda: Como o Brasil se tornou independente?

Quem pode se declarar negro (afrodescendente)

Segundo a definição do IBGE, pardos são pessoas que se declaram mulatas, caboclas, cafuzas, mamelucas ou mestiças de preto com pessoa de outra cor ou raça. Para efeitos estatísticos, pardos e negros são agrupados juntos pelo governo. Enquanto pardos são fruto de mistura racial, negros seriam aquelas pessoas que são puramente negras, ou seja, pessoas cujos pais sejam indubitavelmente negros, entretanto, no Brasil é muito difícil encontrar alguém que seja 100% algo quando falamos de raça.

No Censo de 2010[3], 43,1% da população nacional se auto-declarou como sendo parda. A união das duas categorias em uma só é um tema muito polêmico, o problema em reunir pretos e pardos em uma mesma categoria e que alguns estudos apontam (e a história mostra) que o preto é muito mais discriminado do que qualquer outra raça. É um esquema de quanto mais escuro, mais preconceito sofre, sendo assim, colocar o pardo como igual é como apagar parte do racismo. Outro problema que ocorre quando há a classificação racial, é que, visando fugir do preconceito, algumas pessoas se declaram como pardas quando, na verdade, são lidas como negras pela sociedade.

Ainda sobre a união de pretos e pardos em uma só categoria, o IBGE já chegou a dar a explicação de que a condição financeira e de vida de ambos grupos é muito parecida, justificando assim a junção. Apesar a resposta do instituto, definição causou muita polêmica e não foi um consenso geral.

Vale lembrar também que não existe nada científico que defina alguma coisa e é por isso que todo mundo segue os critérios do IBGE. Uma coisa importante de lembrar é que muitas organizações que defendem a raça negra de preconceitos e lutam pela igualdade racial dizem que o termo afrodescendente está em desuso e que o certo seria negro.

Também de acordo com o Censo 2010, 7,6% dos brasileiros se declaram pretos, o que representa um crescimento em relação aos 6,2% que se declaravam pretos no Censo 2000.

Você também pode se interessar por: O que é apropriação cultural?

Cor/raça: como saber?

Devido ao enorme preconceito que ainda existe no Brasil contra a população negra, muitas pessoas se declaram como pardas para evitá-lo. No entanto, o movimento negro vem recusando o uso do termo pardo, dando preferência a categoria negro.

De acordo com a ativista negra Consuelo Neves, em artigo publicado no portal Blogueiras Negras[4], algumas pessoas (mesmo que negras) recusam a categoria "negro" porque o branco é o que é visto como positivo na sociedade. Dessa forma, se assumir negro é, para esses grupos, uma atitude enobrecedora e revolucionária.

Nessa onda surgem questionamentos como por exemplo "como saber se sou pardo ou branco".

É preciso deixar claro que não há um critério objetivo para se definir a cor ou raça a qual se pertence. Muitos elementos devem ser levados em conta, como a percepção pessoal, a percepção social, hereditariedade, etc. Contudo, no fim das contas, o que vale é a autodeclaração - ou seja, o que você pensa sobre si mesmo.

Se pretende ler mais artigos parecidos a Como saber se sou pardo, recomendamos que entre na nossa categoria de Formação.

Referências
  1. PETRUCCELLI, J. L., SABOIA, A. L. Características étnico-raciais da população. Classificações e identidades. Disponível em: https://biblioteca.ibge.gov.br/visualizacao/livros/liv63405.pdf. Acesso em: 28/04/2019.
  2. CAMPOS, A. C. População brasileira é formada basicamente de pardos e brancos, mostra IBGE. Acesso em: 28/04/2019. Disponível em: http://agenciabrasil.ebc.com.br/economia/noticia/2017-11/populacao-brasileira-e-formada-basicamente-de-pardos-e-brancos-mostra-ibge
  3. Censo 2010 mostra as características da população brasileira. Acesso em: 28/04/2019. Disponível em: http://www.brasil.gov.br/noticias/educacao-e-ciencia/2012/07/censo-2010-mostra-as-diferencas-entre-caracteristicas-gerais-da-populacao-brasileira
  4. NEVES, C. Colorismo: Quem decide? Acesso em: 28/04/2019. Disponível em: http://blogueirasnegras.org/2015/02/03/colorismo-quem-decide/